A Revista Estudos do Sul Global (Resg), do Instituto Tricontinental de Pesquisa Social, tem como principal característica ser uma publicação que contribua para a compreensão da dinâmica do modo de produção capitalista no século XXI, tanto nas ofensivas do capital quanto nas resistências das classes trabalhadoras, tendo como pilares político-teóricos os valores do anticapitalismo, anti-imperialismo, integração entre os povos e o internacionalismo socialista.

A Resg se propõe a publicar textos nas diversas áreas do conhecimento nessa perspectiva política – tanto das ciências humanas quanto naturais -, estando aberta a incorporar contribuições de diversos matizes teóricos, desde que defendam um ponto de vista anti-imperialista. A Resg parte da compreensão das características globais do modo de produção capitalista – sem contudo desconsiderar as especificidades e dinâmicas regionais em que ele se expressa – para decifrar a realidade brasileira ao mesmo tempo em que se propõe a uma mirada para além do nacional, tendo o internacionalismo como um dos seus princípios. Ela se constitui como uma publicação para um público além dos especialistas e estudiosos e deve dialogar com a militância das organizações populares e setores progressistas da sociedade.

O ano de 2022 é um marco histórico na sociedade brasileira, seja pela comemoração do bicentenário da independência (1822-2022), seja pelo centenário da Semana de arte moderna e da fundação do Partido Comunista (1922-2022). Essas datas colocam para nós a necessidade de refletirmos sobre questão da soberania, em seus diversos aspectos e articulações, num contexto de constante ofensiva imperialista no capitalismo contemporâneo, sobretudo com o esgotamento do neoliberalismo.

Consideramos aqui a diversidade da formação social brasileira, entendendo a questão da soberania não nos marcos apenas da nação, mas pensando, principalmente, a partir da perspectiva dos de baixo, para utilizar um termo caro a Florestan Fernandes, e da construção de uma sociedade dos e para os trabalhadores e trabalhadoras.

É fundamental, para nós, pensarmos essa questão em chave de totalidade, ou seja, procurando compreender as determinações e inter-relações da formação social brasileira – economia, política etc. – em questões estruturais como: territorial, agrária, racial, de gênero, indígena, cultural, de constituição de classe, militar, alimentar entre outros. Também é de extrema relevância refletirmos num marco temporal alargado, considerando os aspectos históricos e suas reverberações no capitalismo dependente brasileiro atual; no entanto, é ainda mais importante conseguirmos construir alternativas à nossa realidade.

Nesse sentido, o terceiro número da Revista Estudos Sul Global tem como tema a Soberania dos povos no bicentenário da independência, com o intuito de recolher contribuições que nos ajudem a compreender as tensões entre dependência e soberania na sociedade brasileira do século XXI; a ofensiva do capital para manter a ordem estabelecida; bem como as resistências dos povos em luta. Assim, consideramos alguns eixos de abordagem desse tema:

• Possibilidades e limitações da soberania no capitalismo financeirizado e dependente;

• Racismo e genocídio contra população negra e povos originários, estratégias de luta e resistência;

• Questões de gênero, agenda da luta das mulheres e LGBTQIA+;

• Soberania territorial, soberania alimentar e questão agrária;

• Formação e reconfiguração da classe trabalhadora brasileira e estratégias de luta diante das mudanças no mundo do trabalho.

Dessa forma, a Revista Estudos do Sul Global estende esse convite aquelas e aqueles que estão compromissados em entender a realidade para transformá-la, enviando suas contribuições para ser publicado no formato digital e lançado no mês de outubro de 2022.

Prazo para submissão: 10/08/2022
Previsão de publicação: outubro de 2022

Condições para submissão:

1. Os artigos devem ter entre 5 e 20 páginas e as resenhas 3 e 5 páginas, incluindo as referências bibliográficas e as notas de rodapé. Devem ser assinados pelos autores com uma breve biografia.

2. Os artigos devem conter resumo (em português) que não ultrapassem 150 palavras cada, com indicação de três palavras-chave.

3. Os artigos e resumos devem ser enviados para o e-mail: [email protected] em arquivo de texto em formato padrão para PC (editor de texto, tipo Word e LibreOffice), fonte Times New Roman, tamanho 12, entrelinha 1,5. Utilizar negrito e maiúsculas para o título principal, negrito e minúsculas para subtítulo, negrito e maiúsculas e minúsculas nos subtítulos das seções. Para ênfase ou destaque, no interior do texto, utilizar apenas itálico. Para citações com mais de três linhas utilizar fonte Times New Roman, tamanho 11, espaçamento simples e recuo de 4cm à esquerda.

4. As menções a autores, no correr do texto, devem subordinar-se à forma (Autor, data) ou (Autor, data, p.). Diferentes títulos do mesmo autor, publicados no mesmo ano, deverão ser diferenciados adicionando-se uma letra depois da data.

5. As Referências Bibliográficas devem conter exclusivamente os autores e textos citados no trabalho e ser apresentadas ao final do texto, em ordem alfabética, obedecendo às normas atualizadas da ABNT.

6. As notas de rodapé deverão ser numeradas, apresentadas em fonte Times New Roman, tamanho 10 e espaçamento simples.

7. Os textos assinados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e, portanto, mantêm seu direito autoral preservado. Já o direito de publicação (copyright) é cedido à Revista tão logo o manuscrito seja aceito para a publicação.

8. Os artigos podem ser assinados por mais de um autor.