Pesquisa das Juventudes em Periferias Urbanas

Estudo recente aponta que um dos impactos da pandemia é a criação de uma geração de órfãos, estimados em 130 mil só no Brasil. Foto: Fotos Públicas

 

Juventude negra quer viver!

. Mais de 56% dos jovens negros da Grande SP afirmam já terem sofrido algum tipo de racismo, e mais de 35% afirmam já terem sido seguidos ou abordados em supermercados, de acordo com pesquisa do Comitê Paulista pela Prevenção de Homicídios na Adolescência.

 

Educação sob o CoronaChoque

. A porcentagem de adultos (pessoas entre 25 e 64 anos) sem completar ensino médio no Brasil é de 47%, de acordo com relatório feito pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), junto ao “Todos Pela Educação” e “Itaú Social”. Entre os jovens negros (entre 18 e 29 anos) apenas 60% concluíram o Ensino Médio, enquanto entre brancos o percentual é de 76%, em 2018. Esse número é reflexo do que já vinha sendo apontado na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) de 2019, que constatou que a proporção de adultos que concluíram o ensino médio era de 48,8% da população.

. Saiba mais sobre os impactos do CoronaChoque na educação brasileira no Dossiê 43 do Instituto Tricontinental de Pesquisa Social.

. O Ministério da Educação publicou cronograma com a implementação do Novo Ensino Médio. A medida está longe de ser consensual entre os trabalhadores e estudiosos da educação que apontam uma série de limites dessa proposta.

. O Ministério da Educação também tem defendido o retorno às aulas presenciais, que deve acontecer em muitos estados, mesmo sem a devida preparação e infraestrutura, a partir de agosto.

 

Desemprego segue crescendo entre jovens

. Levando em consideração que a taxa de informalidade entre os jovens (até 29 anos) está muito elevada, em 38%, o governo federal estuda a possibilidade de criação de programas que busquem flexibilização e redução de custos para empresas na contratação de pessoas nessa faixa etária. Em contrapartida, organizações denunciam que a iniciativa incentivaria a precarização do trabalho entre os jovens que, em troca de qualificação profissional, teriam remuneração abaixo do salário mínimo e poucas garantias no emprego.

. O número de jovens chamados “nem-nem” (que não estudam nem trabalham) tem aumentado. Uma das propostas apontadas pelos especialistas para enfrentar esse quadro é a redução da jornada de trabalho combinada com planos educacionais e ampliação do número de postos de trabalho.

. Dados da Polícia Federal indicam que mais de 130 mil brasileiros deixaram o país em 2021. Entre os destinos mais procurados estão Portugal e EUA. De acordo com reportagem da CNN, um dos motivos pode ser a tentativa de trabalho, devido à falta de oportunidades no Brasil.

 

Vulnerabilização dos mais pobres e da população LGBT

. Mais uma vez a inflação pesa mais sobre a faixa mais pobre da população. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), no mês de junho de 2021 a inflação para as pessoas de renda muito baixa chegou a 0,62%, enquanto para a faixa mais elevada o número foi de 0,36%. No somatório do ano, a inflação pesou mais para as pessoas de renda média e média-baixa.

. A vulnerabilidade da população LGBT no mercado de trabalho continua elevada: 44,3% tiveram suas atividades profissionais totalmente paralisadas na pandemia, e aproximadamente 6 a cada 10 pessoas da comunidade estão sem trabalho há pelo menos um ano, de acordo com pesquisa da BOX1824 e PNAD.

 

Saúde: uma geração de órfãos da Covid

. Estudo recente publicado na revista Lancet aponta que um dos impactos da pandemia é a criação de uma geração de órfãos, estimados em 130 mil só no Brasil. É o que foi chamado de“pandemia oculta”, na medida em que evidencia as consequências da doença entre os jovens.

 

Entregadores de aplicativo: precarização, vacinação e auto-organização

. Pesquisa da FGV Direito do Rio de Janeiro revelou que a maioria dos entregadores de aplicativo trabalha de 9 a 12 horas por dia para receber menos que um salário mínimo.

. Após um ano do “breque dos apps”, Paulo Galo, dos Entregadores Antifascistas, avalia que nada mudou. Galo também se apresentou à polícia e foi preso após reivindicar o incêndio provocado no monumento do bandeirante Borba Gato, em São Paulo, que buscou denunciar as violências da colonização inscritas na cidade.

. O prefeito de Fortaleza anunciou a criação de “Pontos do Entregador”, locais de descanso com acesso a wi-fi para entregadores de aplicativo.

 

Internacional

. Pandemia, trabalho e educação: um em cada três países do mundo não tomou qualquer medida para ajudar os estudantes a recuperarem o ritmo e mitigar os danos da pandemia na educação. Uma pesquisa sobre a precariedade do trabalho na Europa concluiu que a juventude é o grupo mais afetado, no que diz respeito ao trabalho.

. A Rappi foi criticada por oferecer vacina apenas aos “melhores entregadores”, isto é, atrelar a vacina à produtividade dos trabalhadores, na Colômbia

. Tangping na China: o movimento da juventude chinesa contra a adesão incondicional a um ritmo de vida orientado pelo trabalho 9-9-6, isto é, das nove da manhã à nove da noite, seis dias por semana.

 

Nota de solidariedade

Nosso Observatório se solidariza com todas as pessoas que perderam familiares e amizades no mês de julho para a covid-19.